quarta-feira, 9 de março de 2011

A loucura e o risco assumido.

Ver ofusca.
Penso a vida por não saber pensar na morte,
Fecundo os meus olhos e cesso o movimento,
A reciprocidade é louca.

Nada é inteligente,
Corre e fecha o um baú que nunca foi aberto
Nada vem, nada vai.
Não há nada para mudar para além de ti mesmo,
Não há lugar nenhum para além de ti mesmo.

A plasticidade cerebral
É a capacidade de representar.
Não há coisa nenhuma que se possa ser; fecho os olhos num coma profundo, onde o pensamento não pensa, fecho os olhos e julgo ser alguma coisa, entreabertos eles comunicam-me o que sou, um ser sob um cansaço profundo.

Assumo o risco e vivo louco porque o sou, não me rejeito, aceito e jogo as peças.

Corro, se é que algum dia me consegui mover.

1 comentário: