quarta-feira, 9 de março de 2011

Viver é sexual.

Corpos a fecundarem-se,
Entrando um no outro,
Odores.

O vento arqueia qualquer coisa,
Amordaça e viver é a busca incessante do prazer.
Viver é um prazer, o Sexo é o maior prazer da vida.

Fugir à masturbação,
Fugir ao sexo,
É fugir ao ser alguma coisa.
Ao ser feliz, à satisfação.

Há coisas e coisas,
O Excesso do prazer
Conduz-nos ao desprazer,
Mas a negação do mesmo também.

Não há verdade nenhuma na fuga ao Sexo.

Viver é sexual e eu vivo bem comigo.

Penetro-me e gosto de penetrar emoções em mim,
Sinto de forma relaxa todas elas,
Sinto entrar em mim cada nova emoção,
Não há dois orgasmos iguais e eu gosto de provocar os meus.

Há uma satisfação imensa
Em poder tirar prazer do mim mesmo.

Sem comentários:

Enviar um comentário