terça-feira, 11 de outubro de 2011

Espelho.

Distância de um pensamento, de um passo que não vou dar para te poder admirar à distância. Olho-me em ti. Todas as minhas imperfeições são perfeitas em ti.


Uma semente que se tornou flor para nunca morrer. Aceitar o destino. Sou verdadeiro compulsivo. Entro num processo de convulsão. A combustão do que sinto. Olheiras a rasgar os olhos sem sono por querer dormir. Criar peças e verdades por ter dificuldade em viver mentiras. Nunca me conheci tão bem como tu me conheces a mim. O legado de duas vidas por só poder ter uma.

Coisas que não compreendo por as entender demasiado bem. Um pensamento. Abstracto. Duas metades imperfeitas que se contemplam ao ponto de encaixarem na perfeição. A minha personalidade fica-te tão bem. A minha camisa no teu corpo ganha outra vida. Os meus pecados cometidos por ti são uma dádiva. A perfeição.

A beleza cansou de não poder ser mais que beleza. A fénix renasceu. As cinzas são ciclos de vitória. O pó. O pó foi um oposto ao que penso. O pó ergueu-se para prevalecer infinito. Estou aqui para te dar um beijo de boa noite.

Dorme bem. Boa noite.

Sem comentários:

Enviar um comentário