segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Eu mesmo.

Eu mesmo no meu espelho.
São três da manhã e só tenho raiva
De mim, por mim, para mim.

Amar como quem ama a poesia
Vazio, vago, ilimitado
Negar o prazer
Negar a visão.

Iludir o vago.
Iludir o vazio
Iludir o ilimitado

Raiva! Raiva! Raiva!
Amar a ilusão.
Amar o vago.
Amar o ilimitado.
Próximo passo,
Próximo dia
Sem magia
Sem limite
Sem amor
Sem poesia

Fugir. Seguir.
Correr.
Espero as tuas palavras
Que nunca cheguei a ler.

Sabores da tua boca
Na minha,
Que é tua.
Na minha que é tua.
Raiva.

Esperar,
Não ter.

Sem comentários:

Enviar um comentário